quarta-feira, 30 de abril de 2008

Rodízios de sushis: tá tudo osso!

Ontem, por volta das 23h, entrei no ZEN (Rua da Hora, Espinheiro) para comer um sushizinho básico. O lugar, diferente de muitos restaurantes nipônicos, oferece rodízio com pratos feitos na hora. No salão, só uma mesa com 4 pessoas (que já estava quase terminando) e eu e meu amor em outra. Pois bem, pedimos uma missô (que por sinal estava boa) e uma porção de tekamakis. O pedido veio errado. A água com gás também foi esquecida pelo garçom (evidentemente, a fim de largar logo do serviço). Veio outro garçom e arrancou o prato errado da mesa, meio indignado com o colega (e eu com isso?). Nem ao menos perguntou se gostaríamos de provar a iguaria.
Chegaram os primeiros sushis e o arroz estava molhado demais.
Comemos tudo. Era a fome. Quando íamos fazer a segunda rodada de pedidos, o garçom diz que a cozinha está encerrando às 23h30. No nosso relógio eram 23h20 e no dele 23h25.
Tudo bem que tem horário para encerrar, mas não é indelicadeza demais com os únicos clientes presentes no restaurante? Não dava para estender o prazo pelo menos mais 10 minutos? Não há formas de agradar o cliente, fazer com que ele volte sempre?
Comemos os últimos sushis com os garçons literalmente passando a vassoura. Cheirinho de Veja Multiuso no ar. Até a música do restaurante desligaram.
Fico p. da vida com isso!

5 comentários:

tita disse...

Afff....

Lula disse...

Bem, falta de aviso não foi. O festival do Soho é o melhor ou não é? Pra mim é. Suspeito nada, suspeito nada. beijos, beijos

Anônimo disse...

Que grosseria
muito bom ficar sabendo disso assim não coloco meus pés nesse local.
Para estabelecimento sem bom atendimento o melhor remédio é fechar as portas.

Sarah V. disse...

Já aconteceu exatamente o mesmo comigo, e um grupo de pessoas que estavam na minha mesa. Assim que pusemos os pés no restaurante, pediram que a gente pedisse tudo de uma vez pois a cozinha estava fechando. Por fim, trouxeram a conta sem que a gente tivesse pedido. Enfim... lamentavel.

Lula disse...

Menina, outra pra essa categoria. Fui almoçar hoje lá no Spettus de Boa Viagem. Caro pra cacete, mas muito bom. Na hora da sobremesa já não aguentava quase nada. A garçonete disse, então "sem problemas, o senhor pede meio profiterolis". Ok, manda!Na hora da conta tava lá o preço cheio. E não é que o maitre achou normal. "Sim, senhor, a gente pode servir a porção menor, mas o preço é o mesmo". Isso é normal?