segunda-feira, 27 de abril de 2009

O fim do mais diversificado polo gastronômico do Recife

.
Não deu para entender a atitude da Prefeitura do Recife em restringir o comércio ambulante de alimentos na praia de Boa Viagem. Para quem é frequentador daquelas areias, sabe bem a falta que fazem alguns comerciantes. Entre eles, o nigeriano Ezequiel, que rumou de volta a África, depois que João da Costa acabou com sua carrocinha de camarões ao alho. Muito alho.

Domingo passado, tive vontade de um queijinho assado. Depois pensei em um espetinho. E o abacaxi cortado na hora? Fiquei na vontade.

Prefeito, com todo o respeito, o senhor não percebe que os nossos ambulantes formam um dos principais perfis turísticos e gastronômicos da nossa praia de Boa Viagem? De tudo tem. Ou melhor, tinha.

Tudo bem. Muitos pecam pela falta de higiene. Mas, não seria mais legal padronizar e capacitar o serviço desse povo? Ia ser bom para eles e para boêmios-praieiros, como eu.

Eita! E as cervejas em garrafa? Precisava mesmo ter banido? Até porque, na areia fofinha, fica difícil quebrar vidro e, ainda por cima, no final da tarde, as latas fazem muito mais sujeira do que os vasilhames (que iam direto para as grades). Sem contar, que consumir as latinhas pesa no bolso!

Pronto. Já desabafei! Me sinto melhor...

Agora vai a dica:

Os caldinhos, que não são produzidos na praia (já chegam da casa dos comerciantes prontinhos em garrafas térmicas), ainda fazem a alegria.


Mas, o melhor deles, sem sombra de dúvidas, é o de Wilson. Ele circula entre a Padaria Boa Viagem e o Pina. Mas, se você der uma telefonada, dizendo um ponto de referência, ele vai ao seu encontro. No caldinho de feijão, Wilson coloca tudo o que temos direito, até torresmo crocante. No verão, são mais de 20 ambulantes trabalhando no Caldinho do Wilson.

Minha amiga, sommelier (chiquérrima) e blogueira (http://www.escrivinhos.com/) Fabiana Gonçalves é cliente assídua do rapaz. Não é vinho, mas ela recomenda!

Olha aí o cartão de visita do moço:

2 comentários:

Margarida disse...

é mesmo, Preta. num tem coisa melhor do que todos aqueles brebotes à venda em BV. uma vez, de férias, estive nas praias de Natal e Fortaleza. como senti saudade de Recife! lá só vendiam raquíticos pedaços de queijo coalho, camarões e lagostas (q n me apetecem de forma alguma!)...bom mesmo é cerveja com caldinho, amendoim cozido ou torradinho e queijo.... e se tiver de ressava, um abacaxi gelado e doce! bjos da comadre

Luciana Rabelo disse...

Acho que as carrocinhas de comidinhas em movimento na praia tá valendo total. Mas aquelas de churrasquinho na avenida, acho o ó. Principlamente pra quem tá a fim de ir pro calçadão se exercitar. E se for vegetariano, aí é que lascou. Além de atrapalhar o estacionamento dos carros, atrapalha os 'atletas'. Mas o que me revolta mesmo é a sujeira na areia. Tem que ter uma lei pra aplicar MULTA em DINHEIRO pra ver se o povo se educa. E tem que haver um trabalho educativo com os ambulantes. Besos!!!!!