quinta-feira, 3 de abril de 2008

Garçons-irmãos

Queria inaugurar logo este marcador do BLOG da GASTRÔ: Amigo garçom.
Numa cidade de boas comidas e péssimos atendimentos, quando aparece um garçom atencioso é como se a refeição ganhasse mais tempero.

E, quando penso em garçom no Recife, vem logo a imagem dos garçons-irmãos Rodrigo e João Paulo. Acho que sem eles o Burgogui, restaurante coreano no Espinheiro que adoro, não teria tanta graça.

Vai pra eles este post.

...
Ah! A carne de lá não é de cachorro.

5 comentários:

Fabiana Gonçalves disse...

Na véspera de dar a luz (não sabia que ia ser naquele dia) fomos ao Burgogui comer o prato com o mesmo nome da casa. Um dos simpáticos irmãos (João Paulo) nos atendeu. No outro dia, já em trabalho de parto, no hospital, o enfermeiro que veio colher meu sangue era a caaaaaaara de João Paulo. Só me lembro quando eu disse: num deixa o garçom tirar meu sangue não! hahahaha!!! toda vez que vou lá no "Burgoga" me lembro disso :)

Anônimo disse...

Oxe, que engraçado. Vanessa tb quis ir no Burgoqui um dia antes de parir. Lembra, Bahé?

Muito boa essa história, Bina!

tita disse...

Huum..um amigo-garçom? O Cid, lá do Capitão..

Preta, lembro que a primeira vez que fui a este restaurante foi com vcs...
beijos

Maria Chaves disse...

Arine, zá pagou zá?

Jaqueline disse...

Aline, é Jaque Maia. Olha, tentei ir ontem lá no Burgogui e não consegui. Apesar do restaurante estar praticamente vazio (só uma mesa ocupada), o estacionamento estava lotado e não havia um pedacinho só de calçada disponível pro carro na rua inteira. Acho que o Bode tá tomando conta até do estacionamento do coreano. Desse jeito não dá pra comer aquela comidinha ótima.
Né?
É.