quarta-feira, 6 de maio de 2009

Café Porteño: capricho do papel ao filé

.
Tô remoendo este post desde cedo. Normalmente fico assim quando quero escrever sobre algo que admiro. Fico juntando adjetivos positivos e acabo protelando até a última gota.

Pois bem. Ontem tive um almoço muitíssimo agradável regado por tacinhas de branco e rosè no Café Porteño, Espinheiro.

A casa comemora este mês dois anos de funcionamento e de um casamento muito massa, entre a criatividade do chef Leandro Ricardo e do capricho visual e de concepção da sócia-proprietária Bruna Oliveira.
Para quem ainda não conhece, o ambiente é aconchegante, pensado em cada detalhe. Pode atrair desde o meu pai, um cara mais tradicional, até eu mesma, que adoro me entornar em vinhos com ótimo custo benefício e me deliciar com um bom filé. No fim, a conta é honesta. Supreendentemente barata para quem faz farras gastronômicas nos recintos requintados da cidade e perfeita para mim, uma jornalista lisa, como a maioria dos colegas. Todos satisfeitos.
Pois bem. No almoço de ontem comemos pra caramba, claro! Leandro, ia mandando o garçom soltar os pratos enquanto perguntava aos jornalistas presentes na mesa quais os seus pratos de infância. Toda vez ele faz isso. Uma mania de comfort food danada! E eu adoro!
Flávia: bolinho de feijão, arroz e farinha amassados na mão pela avó e melados no molho de carne.
Eu: feijão preto da minha avó Nilda, com arroz carioca no alho e sardinha frita.
Diogo: Bacalhau, de muito
Do resto, não lembro...
Oxe, que oba, oba besta para entrar nos dez pratos novos do Café Porteño!!

Para pontuar, o Café Porteño nasceu da ideia de trazer ao Recife um pedacinho saboroso da Argentina. O primeiro cardápio que Leandro montou surgiu com referências da América Latina. No segundo, ele partiu para o México. Agora, ele traz um sotaque espanhol para as novas delícias.

Vamos lá!

De entrada, veio o Gambas al torrontés, que são camarões ao vinho branco e salsa barbacoa dentro do pão ciabatta crocante com batatas paysanne.



Também teve uma linguiça meio picante, envolta de massa folhada (que não estava muito crocante - porque, segundo os entendidos da mesa, é difícil dar o ponto ideal em massa folhada no nosso clima).

Prato principal: A maioria ficou com a La Playa e La huerta (R$ 21,90), uma opção light do cardápio com filé de peixe.

Outros pediram o Tournedor Faena (R$ 21,90) , um filé alto assado em crosta de parmesão crocante com tortila porteña. Experimentei um pouco do vizinho, mas achei o filé dele passado demais. Prefiro ao ponto, mas puxado para mal passado. A tortilha estava boa.


Eu e Bruna, a proprietária e designer (que por conta disso faz os releases mais caprichados visualmente desta cidade *) fomos de paella, batiza de Mariñera Pinzón. Porção para dois, por R$ 34,90. Estava gostosa, leve, mas ainda prefiro aquelas paellas bem condimentadas.
Por fim, docinhos para engodar sem culpa.

Um brinde e vida longa ao Café Porteño! Tim tim

SERVIÇO:
Rua da Hora, 712, Espinheiro.
domingo a sexta, das 12h às 23h e sábados das 16h às 23h.
Tem manobrista.
Tem também área externa (que começou como um simples quintal decorativo e agora é o espaço mais disputado nas noitadas do restaurante)
Sim! Tem também música ao vivo, com tango às terças-feiras.

* O restaurante foi premiado pelo 3º Salão Pernambuco design como Melhor Identidade Visual do estado!

5 comentários:

Anônimo disse...

Ficamos curiosos para ver o release feito pela Bruna :D
Rola um update no post com imagem dele?

aLiNe FeiTosA disse...

Oxe,
pede a ela!
af

luciana disse...

Eu fui há umas duas semanas almoçar no Café Portenho. Achei o lugar super simpático. Fiquei num grande dilema para escolher um prato. Mas, não sei se fui num dia errado, foi uma grande decepção. O carré de carneiro (meu prato) estava tostado. Era de um jeito que ficou difícil enfiar o garfo. E eu pedi rosado. Tive que pedir pra voltar. Ainda assim voltou meia boca. Meus outros dois colegas (que escolheram filés altos) também foram super mal servidos. Pelo que você escreveu, entendi que vocês foram servidos pelo próprio chef Leandro. Mas neste sábado, as receitas foram muito mal executadas.

aLiNe FeiTosA disse...

Eles sempre passam por aqui e, certamente, leram a sua reclamação, Luciana.
Massa!
Este blog é para isso mesmo: compartilharmos informações e sabores!
bj,
af

Anônimo disse...

Ainda vale falar de um post mesmo 1 ano depois? Adorava o ambiente e a comida do Porteño, mas deixei de freqüentar faz mais de 1 ano por conta do péssimo atendimento e da total falta de educação e atenção do gerente, um tal de Leo, que espero que não esteja mais por lá, para ver se posso voltar.